fbpx

5 OBRAS DE ARTE COM SEGREDOS POR TRÁS

Você pode acompanhar o texto ou assistir ao nosso vídeo:

O Mundo das artes e obras famosas geralmente encanta e nos leva a diferentes emoções, a diferentes épocas e a experiências desconhecidas e maravilhosas. 

Mas será que não existem obras que escondem curiosos segredos? Coisas que seriam inimagináveis para os desavisados de plantão?

Hoje conheceremos 5 obras de artes com segredos por trás de suas pinturas!

1. O casamento desigual de Vasily Pukirev

A primeira tela da nossa lista é a pintura russa “O casamento Desigual” de Vasily Pukirev de 1862. Para analisá-la é necessário saber um pouco do contexto da época. 

Na Rússia do século 19 se tornou comum o casamento forçado de jovens sem dote com homens mais ricos, geralmente muito mais velhos que suas jovens pretendentes, tudo com base em benefícios e interesses entre as famílias.

Nem todo mundo apoiava esses atos e uma parte das pessoas até condenavam esses casamentos com grandes diferenças de idade, provavelmente seria o caso do pintor Pukriev.

A obra retrata um casamento na Igreja Ortodoxa entre uma garota jovem e ingênua com seu noivo que seria um membro da nobreza muito mais velho. Pode-se notar a tristeza no rosto da menina mostrando o descontentamento de uma pessoa sem escolha,  e nota-se também o olhar e pose de arrogância e superioridade do velho que se aproveita da situação.

Diz-se que os convidados atrás dos noivos foram propositalmente feitos com expressões desagradáveis e presunçosas para enfatizar a mensagem, com exceção do jovem à direita, ao lado da noiva. Ele seria o padrinho, e por se identificar com a moça também jovem em uma situação como essas, está também descontente o que é evidenciado por sua expressão e por seus braços cruzados.

2. Os embaixadores de Hans Holbein

O segundo mistério da nossa lista é uma pintura que engana a visão. Holbein retrata dois embaixadores, Jean de Dinteville e o bispo da antiga diocese Georges de Selve. 

O estranho é que na pintura existe uma figura distorcida no chão, em primeiro plano. É preciso que o observador se aproxime da pintura pelo canto para poder enxergar: a figura distorcida é na verdade um crânio humano!

Uma das teorias é que o autor se utiliza do ‘memento mori’, ou seja, independente de ser ou não um membro da nobreza, a morte chega eventualmente para todos.

A segunda possibilidade é que a tela é dividida em três níveis: céu (representado pelo astrolábio e outros objetos na prateleira superior), a terra onde habitamos  (evidenciado por livros e um instrumento musical na prateleira inferior) e o mundo da morte, delimitado pelo crânio.

Por fim, é possível também que o pintor só quisesse demonstrar as suas habilidades e o domínio da técnica de perspectiva distorcida, assustando os observadores mais desavisados.
(Particularmente acho que foi essa última mesmo e você? 😂)

3. O Ônibus da Frida Kahlo

A Frida é super popular entre vocês e é uma das pintoras mais famosas do mundo.

Quem olha para a obra ‘O Ônibus’ nem imagina que ela pode ter algo bem triste e impactante por trás de suas pinceladas.

Quem é fã sabe que a artista sofreu um acidente ainda jovem que fez ela passar por diversas cirurgias e viver com algumas sequelas do após o fato. Esse acidente aconteceu numa viagem de ônibus.

A pintura em questão, feita 4 anos depois, representa justamente o dia do acidente, alguns minutos antes de acontecer. Diz-se que o homem de azul teria ajudado a retirar o corpo da Frida do corrimão de metal no qual ela ficou empalada após o acidente.

4. O Jardim das Delícias Terrenas de Hieronymus Bosch

Essa é uma obra bem incomum e enigmática. Ela é feita em madeira e é dividida em três partes. A primeira parte representa a criação do mundo, a parte do meio representa as ‘delícias terrenas’ e na última parte é representado o inferno.

Se você olhar bem a imagem central vai conseguir observar várias imagens ‘sacaninhas’ o que nos leva a imaginar que intenção de Bosh provavelmente era representar na parte central o pecado para ao lado representar suas consequências.

A pintura por si só é meio bizarra mas o fato mais curioso é que observando a representação do inferno no lado direito é possível encontrar uma pessoa de bruços sendo torturada e pasmem: no bumbum da vítima tem uma partitura de música!

E é uma música de verdade, viu?! Se você jogar na internet o termo: Hieronymus Bosch Butt Music ou assistir ao nosso vídeo acima, você vai conseguir ouvir a melodia infernal.

Sinistro né?

5. A Última Ceia de Leonardo Da Vinci

Falando em música, a última obra da nossa lista também traz uma melodia escondida e a obra é nada mais nada menos que a Última Ceia de Da Vinci.

Um pesquisador descobriu que a pintura esconde uma partitura musical. Em sua teoria, os riscos da toalha de mesa representam a partitura em si e as notas musicais são representadas pelos pães dispostos sobre a mesa e as mãos dos apóstolos e de Jesus.

E não para por aí, como sabem Leonardo tinha uma característica muito única de escrever ao contrário, ou seja, da direita para a esquerda. Então a partitura escondida não podia ficar por menos, ela também só forma uma melodia se tocada de ‘trás pra frente’.

Você pode escutá-la em nosso vídeo ou procurando o termo Music from “Last Supper – Leonardo da Vinci”.

O que você achou da música? Bem misteriosa!

Chegamos ao final das curiosidades em telas! Qual te surpreendeu mais?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *