o que é mindfulness, meditação, estilo de vida, atenção plena

Mindfulness, meditação ou estilo de vida?

O termo Mindfulness traduzido como atenção ou consciência plena está sendo cada vez mais utilizado, geralmente para descrever um tipo de meditação. Mas você sabia que não é bem assim?

A meditação mindfulness é como um treino para conseguir ter mais foco nas situações reais e corriqueiras da nossa vida e viver o momento de forma completa.

Vem comigo que eu te explico melhor!

O passado e o futuro podem estar atrapalhando seu presente

Sabe quando você está tentando realizar alguma tarefa ou até tentando dormir para alcançar o descanso dos justos e de repente lembra daquela discussão que aconteceu em 2006 e sobre como aquela teria sido uma resposta muito melhor?

Ou então quando você está no trabalho, mas já está planejando suas férias dos sonhos?

Esses tipos de pensamentos acabam te impedindo de viver o momento presente com toda a sua atenção e te leva a fazer as coisas simplesmente no piloto automático. 

Quando nos deixamos levar por pensamentos do passado os quais não podemos mudar ou fantasias sobre o futuro que não podemos controlar, nós vivemos distraídos e a vida vai passando sem nem a gente se dar conta.

Outro lado negativo é que esses pensamentos acabam nos trazendo stress e ansiedade, aumentando nosso sofrimento e sendo uma pedra no sapato da nossa felicidade.

E como faço para viver o momento presente com consciência plena?

Existem algumas práticas que a gente pode inserir na nossa rotina, para aumentar o domínio sobre o nosso foco e nossas distrações.

Uma delas é sempre que se perceber distraído e desejar retomar o foco, utilize sua respiração como âncora.

Faça o exercício inspirando e expirando com o gif 😉

A respiração é algo que você pode fazer sempre, e é a base da meditação mindfulness. Para utilizá-la como âncora, basta se colocar em uma posição confortável, de preferência em um local mais reservado e longe de estímulos externos.

Aí então você vai acalmar a seu corpo e mente observando a sua respiração. Ao inspirar e expirar lentamente, perceba o som, o ar entrando nos pulmões, as sensações do seu corpo, focando totalmente no exercício de respirar.

Mas e se as distrações virem?

Relaxa, elas virão mesmo! O importante é aceitá-las sem julgamento. Começou a pensar na reunião de daqui a pouco ou no almoço de amanhã? Está tudo bem, o primeiro passo é notar que se distraiu. Com isso você pode trazer gentilmente a sua mente ao exercício de respiração e repetir o processo 😉

Existem outras formas de treinar minha atenção plena?

Sim, existem! Uma dica é fazer uma refeição sozinho (longe do celular viu?!), e observar tudo o que envolve a atividade. Observe os alimentos do seu prato, a quantidade, as cores, sinta a textura, o processo de mastigar e engolir… Faça isso durante toda a refeição e será um treino e tanto!

Outra ideia é parar para observar objetos e o local ao seu redor. Você pode descrever para si mesmo, com o maior detalhamento possível o lugar onde está, como se fosse uma descrição em um livro de narrativa:

 “…Eu olhei para a janela e observei o sol da tarde iluminado a parede externa com seus raios de luz. As formigas subiam nela, formando sombras muito maiores que elas mesmas que dançavam até desaparecerem da visão.”

(isso é realmente o que acabei de ver pela janela haha)

Lembre sempre de não julgar nada do que vê: não pensar em bonito ou feio, e nem se está bagunçado ou não. Foque nas coisas como são e estão.

Com esse exercício você vai se forçar a  observar melhor tudo o que está em sua volta, e notar coisas que normalmente não notaria.

Mas para quê tudo isso?

Esses exercícios são para treinar sua capacidade de perceber rapidamente quando está desatento e retomar a atenção, ou seja redirecionar a sua atenção ao que realmente importa.

Assim você não perde mais tempo da sua vida preciosa pensando em besteira!

Com a prática de observar sem julgar você também vai conseguir analisar melhor a sua vida e tudo o que acontece nela de uma forma diferente e mais racional, sem se cobrar tanto.

Resumindo, o mindfulness é uma das ferramentas que podem ser utilizadas para uma vida mais feliz e longe do sofrimento desnecessário.

E você, como vive o mindfulness? Conta pra gente!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Abrir WhatsApp