Vida Corporativa

A falta de engajamento de equipe pode custar até US$ 7,8 trilhões para a economia global

Marina Lopes
19/10/2022

Manter o engajamento de equipe é hoje um dos maiores objetivos das empresas. E não é por acaso.  Funcionários não engajados ou que estão ativamente desengajados podem custar até US$ 7,8 trilhões para a economia global. Quem diz isso é o relatório “State of the Global Workplace: 2022 Report, realizado pela Gallup, empresa especializada em pesquisa de opinião nos EUA. 

Esses números são provenientes da pesquisa realizada com mais de 160 países, e reflete como anda o engajamento e satisfação de pessoas adultas, que estão ou já foram empregados em empresas ao redor do mundo, durante o ano de 2021.  A ideia principal do relatório é representar a voz coletiva do funcionário global.

Confira abaixo mais alguns dados revelados pela pesquisa e outros insights trazidos pela State of the Global Workplace: 2022 Report

O engajamento de equipe e bem-estar estão estagnados em todo o mundo

A pandemia do Covid-19 afetou diversos aspectos da vida das pessoas, inclusive a vida profissional. Segundo a pesquisa divulgada pela Gallup, atualmente apenas 21% dos profissionais no mundo todo se consideram engajados no trabalho e somente 33% estão com seu bem-estar em dia.

A maioria afirma não considerar seu trabalho tão significativo, não se sentir esperançoso com relação ao seu futuro e ainda que sua vida não está sendo como esperava. São dados alarmantes, que vão contra a tendência de antes da pandemia, no qual o engajamento e bem-estar dos trabalhadores estavam aumentando ao redor do mundo. Hoje, depois de dois anos de pandemia, esse crescimento encontra-se estagnado

As consequências de ter um baixo engajamento de equipe

O relatório também mostra que os funcionários nunca estiveram tão estressados. Um recorde realmente histórico. Entre os entrevistados, mais de 44%  passam por momentos de muito estresse diariamente, incluindo diversas emoções negativas como tristeza, raiva e desânimo.

E entre os funcionários mais estressados globalmente, estão as mulheres que trabalham na região dos EUA e Canadá.

Ou seja, a falta de engajamento de equipe e bem-estar dentro das organizações têm afetado diversos aspectos da vida dos colaboradores ao redor do mundo, principalmente a saúde mental. Além de trazer impactos econômicos globais como o custo exorbitante de até US$ 7,8 trilhões. 

Países do mundo com os colaboradores mais engajados

Dentre os 160 países que foram estudados na pesquisa, os EUA e Canadá se destacam por terem os funcionários mais engajados no mundo, mesmo possuindo também algumas das equipes mais preocupadas e estressadas.

Essa maior taxa de engajamento pode estar relacionada com o fato de quase 50% dos  americanos e canadenses sentirem que estão “vivendo de maneira confortável" com sua renda familiar, em comparação aos 22% das respostas globais.

Além disso, os EUA e Canadá também se encontram em  primeiro lugar entre os países que mais possuem oportunidade de emprego e em segundo lugar no quesito de bem-estar dos colaboradores.  Fatores que também contribuem para um maior engajamento e satisfação no trabalho.

E como anda o engajamento de equipe na América Latina e Brasil ?

A América Latina, incluindo o Brasil, segue a tendência global com a baixa taxa de engajamento de equipe, mas com algumas características específicas da região.

Entre os funcionários latino-americanos, apenas 23% se sentem engajados e 43% afirmam estar prosperando em seu bem-estar.  Além de serem os colaboradores com maior percentual de preocupação diária do mundo com 53%, sendo as mulheres as que mais sentem estresse ao longo do dia (60%).

Entre as emoções negativas mais sentidas entre os latino-americanos estão estresse (50%), tristeza (27%) e raiva (15%).

Quais ações os líderes devem tomar para melhorar o engajamento de equipe?

O estudo da Gallup afirma que, os dados apresentados no relatório, expõem a urgência das organizações olharem seus funcionários para além da sua performance e competência, e sim como pessoas que possuem suas emoções, comportamentos e percepções. Principalmente, após a pandemia do Covid-19. 

E para que as empresas conquistem uma maior taxa de engajamento de equipe, é preciso que os líderes adicionem métodos de bem-estar entre suas principais pautas dentro da empresa e priorizem a saúde mental dos seus funcionários, como parte da cultura organizacional. 

Mas como alcançar tais objetivos? Buscando ferramentas que auxiliem e fortaleçam esse processo dentro das empresas como: reestruturação da cultura e dos valores da empresa;  pesquisas de clima organizacional; adoção de práticas internas de meditação e mindfulness, ou até  ações de Team Buildings. 

E aí, gostou de estar por dentro de como anda o engajamento de equipe ao redor do mundo? Então, confira como a Vinho TInta pode auxiliar você a ter uma equipe mais engajada aqui

Pode te interessar

Utilizamos cookies para analisar e personalizar conteúdos e anúncios em nossa e em outras plataformas. Ao navegar no site, você nos autoriza a coletar e usar essas informações. Para mais informações visite nossa página Políticas de Privacidade.

Preferências